Acredito que a cirurgia do abdome, juntamente com a cirurgia de nariz, seja a cirurgia que mais evoluiu ao longo dos anos. Até alguns anos atrás se acreditava que naquelas áreas onde era realizada lipoaspiração, não se deveriam produzir cortes, e nas áreas a serem cortadas não se poderia lipoaspirar.

Foi assim por muito tempo dentro dos conceitos da Cirurgia Plástica até que o avanço da medicina aliado ao incansável estudo da anatomia e das técnicas operatórias produziu uma cirurgia que alia o ganho de contorno corporal, que é proporcionado através da lipoaspiração, à correção da flacidez de pele e tecidos profundos que só é conseguida graças à cirurgia convencional.

Essa técnica é conhecida como “lipoabdominoplastia” que em última análise é a soma da lipoaspiração com a dermolipectomia. Passou-se então a se lipoaspirar a parte superior do abdome, que é a região que recobre o estomago e as laterais do abdome, que são os flancos, e depois se remover a pele da parte do abdome que fica abaixo do umbigo.

Apesar de não poder ser realizada em todos os casos, essa fabulosa técnica veio para resolver problemas e produzir abdomes mais definidos com menos flacidez, reposicionando ou tecidos fragilizados pelas gestações ou pelo efeito sanfona levando ainda à modelagem da cintura dando assim graça e definição ao abdome.

A lipoabdominoplastia é uma técnica de bases já bastante estabelecidas com resultados muito previsíveis, mas que depende enormemente do repouso do paciente. A paciente deve permanecer um prazo de 21 dias em posição semi fletida a fim de favorecer o processo de cicatrização e com isso diminuir as chances de problemas como alargamento ou inversão da cicatriz. A paciente que insistir em não realizar um pós-operatório dentro do recomendado apresentará inevitavelmente problemas indesejáveis de aparência, contorno ou de cicatrização.

A cirurgia é realizada com anestesia raquidiana saiba mais ou peridural saiba mais e a pessoa permanece por um dia internada retornando às suas atividades do dia a dia e profissionais em cerca de 30 dias.

Ao longo dos meses, a barriga passa por diversas alterações e o resultado será próximo do definitivo entre seis meses e um ano.

A cicatriz apesar de presente fica colocada de uma forma que o biquíni ou a lingerie sejam capazes de escondê-la. Restará aparente apenas a cicatriz que fica ao redor do umbigo que apesar de discreta pode ser evidente ou imperceptível.

Costumo dizer que apesar de ser uma cirurgia com resultados em geral muito satisfatórios, a pessoa deve estar preparada para o período de pós-operatório porque será desse repouso que dependerá o sucesso ou não da sua cirurgia.

A drenagem linfática saiba mais é parte fundamental do tratamento pós-operatório, sendo que uma técnica bem realizada trará sem sombra de dúvidas um resultado mais harmonioso e natural.

Em geral a drenagem linfática se prolonga por três meses podendo ter seu tempo aumentado ou diminuído dependendo de cada caso.

Se você se incomoda com sua barriga venha fazer uma consulta e esclarecer todas as suas dúvidas.

Dr. Assaad Naim

Cirurgião Plástico

Deixe uma resposta