A pele humana é sabidamente o maior órgão que temos no nosso corpo.

Com uma área de dois m2 em média, esse órgão é composto por diversas estruturas como glândulas, nervos, vasos, pêlos e outras. Em razão dessa variedade de estruturas aliado à exposição solar diária, a pele está sujeita a apresentar algumas alterações e doenças.

É muito comum a pessoa apresentar manchas decorrentes da exposição ao sol ou por ação de hormônios.

O mais importante é ter noção do que pode ser uma lesão benigna, ou seja, que não trará problemas com o passar do tempo e aquela lesão de características malignas, ou seja, que pode ser, ou virar câncer de pele.

Felizmente a maior parte das alterações da pele é benigna e corresponde apenas à mudança da forma, cor ou volume de determinada estrutura da pele. Um exemplo simples de ser entendido é o cisto sebáceo, ou o cisto epidérmico que é aquele “carocinho” de tamanho variável que aparece em áreas de pêlo ou cabelo. Esse cisto é benigno, porém a sua retirada deve ser feita para que não venha a apresentar complicações como inflamação, infecção e em alguns casos a saída uma espécie de “sebo” que pode ter mau cheiro. Outro exemplo comum são as manchas que aparecem na face após a gestação e que são conhecidas por “cloasma gravídico”. Essas manchas aparecem por ação hormonal e não apresentam outros problemas que não sejam estéticos. 

Existe ainda uma gama bastante ampla de lesões planas de cor escurecida com bordas bem definidas e que não mudam de tamanho ao longo dos anos. Essas lesões são possivelmente benignas, originárias da exposição solar, determinadas geneticamente ou de outras causas. Esse tipo de lesão em geral requer apenas observação.

Apesar da maioria das lesões serem benignas, vêm aumentando o número de lesões malignas principalmente em nossa região e em outras onde o sol é bastante intenso.

Essas lesões normalmente surgem pequenas em áreas descobertas ou expostas ao sol com mais freqüência, possuem margem irregular, cor mal definida ou mais de uma cor, por vezes coçam, outras vezes sangram, podem apresentar pêlo em seu interior ou estar em área de trauma freqüente ou ainda na região de depilação ou da barba, são em geral lesões que parecem que vão cicatrizar, mas que não cicatrizam direito. Se você notou alguma lesão desse tipo então você deve fazer uma consulta ao Dermatologista ou ao Cirurgião Plástico o mais breve possível. Essas lesões são sugestivas de câncer de pele e devem ser rapidamente avaliadas e tratadas.

Lembre-se que o melhor tratamento é a prevenção, mas se você já notou mudanças, quanto mais rápido você procurar tratamento maior será as chances de bons resultados.

A pessoa que mais gosta de você é você mesmo, portanto sempre ao banho aproveite para fazer uma inspeção geral no seu corpo dando especial atenção às áreas expostas ao sol.

Dr. Assaad Naim

Cirurgião Plástico

Deixe uma resposta