Orelha em abano é o termo médico usado para definir aquelas orelhas que se encontram abertas, fora de sua posição normal em relação à cabeça, costumo dizer que quando olhamos o rosto de alguém devemos notar a face toda sem que haja uma parte que chame mais atenção que a outra. Quem tem orelha em abano apresenta as orelhas afastadas da cabeça o que faz com que elas sejam mais notadas que as demais partes do rosto.

Na maior parte das vezes a queixa começa no final da infância ou no início da puberdade quando a criança passa a ter percepção estética do seu corpo e por vezes sente-se ridicularizada pelos comentários de seus colegas.

Em geral os pais levam as crianças na faixa de 7 a 12 anos ao consultório para avaliação e correção, mas há também pessoas que só vêm a se queixar quando já estão na idade adulta.

A cirurgia em geral não oferece riscos maiores e é executada sempre em ambiente cirúrgico.

Serão feitos cortes atrás das orelhas e de acordo com a necessidade na parte anterior, na região mais côncava. As cicatrizes ficam quase sempre imperceptíveis principalmente se a pessoa tiver uma capacidade normal de cicatrização.

A cirurgia é realizada com anestesia local saiba mais associada por vezes a uma sedação saiba mais ou ainda em casos especiais realizar-se a anestesia geral saiba mais.

A pessoa permanece internada por algumas horas e em seguida é liberada para casa.

Será necessário o uso de uma faixa elástica apropriada para manter as orelhas fixas na sua nova posição por algumas semanas. O paciente então fará retornos periódicos para reavaliação e uma perspectiva mais fiel de como ficarão as orelhas no futuro pode ser conseguida cerca de 20 a 40 dias depois da cirurgia.

Como qualquer outra cirurgia pode haver a necessidade de refinamentos, principalmente pelo fato da orelha funcionar como uma mola e com isso haver a tendência de abanar novamente após determinado período de tempo. Em casos onde a orelha volte a abrir, uma reparação costuma resolver o problema.

Nos retornos o paciente será informado de sua evolução e da necessidade ou não de reparos.

Atenção aos seus filhos, por vezes um mau desempenho escolar ou alguns distúrbios afetivos estão ligados à imagem que ele faz de si mesmo. Se você identificar o problema consulte o Cirurgião Plástico e esclareça todas as suas dúvidas. 

Dr. Assaad Naim

Cirurgião Plástico

Deixe uma resposta